Alergia de Grama

0
2031

Tenho uma amiga muito especial, cuja casa passou por reformas totais: infra-estrutura com piso, paredes, telhado, parte elétrica, hidráulica, etc.

Também foi criado um cercado para suas cachorrinhas de estimação: Lindinha e Pitchulinha. Lembrando que, embora seus nomes sejam bonitinhos, as duas feras são bem pouco amistosas. Estranhos não entrariam no quintal se soltas estivessem. Foi difícil “domesticá-las”, pois, para elas, até que se prove o contrário, você é sempre um estranho.

Ah, tiveram, inclusive, como brinde, uma casinha construída artesanalmente para que se abriguem do frio e das chuvas.

O mais curioso disso tudo é que a Lindinha, sendo mãe da Pitchulinha, se achou no direito de “morar” sozinha na casinha. Isto foi no início, já que agora as duas se abrigam amigavelmente no aconchegante “barraquinho”. Um detalhe: seu construtor falhou nas medidas e as duas cachorrinhas só podem usá-la depois de um malabarismo na tentativa de se acomodarem. Ainda assim, as duas ficam com os focinhos de fora. Não “entendei” por que elas não optaram em ficar com os rabinhos de fora em vez dos focinhos. Talvez seja por “precaução” ou de proteção da integridade, baseadas na máxima do “quem tem cuida”!

O gatinho “mimoso” tem mordomias. Nada como ser um gato. Sei bem o que é isso. Gatos são mimados… Ele dorme no sofá, no tapete, na cama com as crianças, com direito a cobertor e o aconchego quentinho no colo das crianças. Gato é gato! Só que o mimoso ficou fora, morando provisoriamente, durante a reforma, e agora divide os dois domicílios, na base do “quem dá mais” leva…

O mimoso deu para namorar. Gatinhas “fogueteiras” estão a noite toda no portão convidando para uma noitada com direito a tudo. Outro dia o mimoso voltou da “gandaia” num bagaço que demorou uma semana para se recompor das reais condições físicas. As gatinhas exclamaram: “mais que noite; mas que gato!”

-Professor, e a alergia a grama?
-Ah, bom! Na entrada da casa a dona optou por uma calçada orlada de gramas. Ficou bonita a entrada. Mais perece uma alameda orlada das entradas dos grandes palácios medievais (clássicos).

Quanto à alergia, não se trata daquela reação orgânica que leva você a sentir coceiras pelo contato. Por exemplo: “dormir na grama” é gostoso e macio, mas quando se acorda, a coceira no corpo é geral. Isto se não tiver umas formiguinhas como recheio. Namorar na grama seria mais complicado, pois o contato da pele direto com o gramado, sobretudo em regiões do corpo mais sensíveis, onde o sol não tem o privilégio de tocar…
Acontece que a grama cresceu. E com as constantes chuvas de verão a grama cresce da noite para o dia e precisa ser cortada quase que semanalmente. A dona da casa resolveu aventurar-se a cortar a grama. Meus Deus! Esconjurou o tempo todo e no final foi parar na Santa Casa para uma sessão de fisioterapia… Se essa mulher, já que é muito bonita vier a ser atriz de cinema.

Lourival S. Bortolin

Comentários