Vereadora Mônica Ferraz (PV) faz importantes indicações para atender a população

0
584

A vereadora Mônica Ferraz(PV), na sessão da Câmara Municipal, da última segunda-feira(29), fez importantes indicações com a finalidade de atender a população epitaciana.

Na sua primeira indicação, a vereadora quer instituir o “Programa Remédio em Casa” com o objetivo de melhorar e garantir o acesso mais efetivo aos medicamentos de pessoas que necessitam de atenção especial, pacientes com mobilidade reduzida, acamados, idosos, cadeirantes, entre outros, que encontram dificuldades na adesão e na continuidade de tratamento médico e que possam comprovar ter dificuldades de locomoção. O objetivo é garantir o direito constitucional do acesso à saúde e já é implementada em outras cidades com relevância social para o município.

Na segunda indicação, ela propõe a criação do Programa Kit Lanche – Mais Saúde, com fornecimento de um kit lanche aos pacientes do SUS e acompanhantes transportados a outros Municípios para tratamento de saúde.

Segundo Mônica Ferraz, “o Kit Lanche é uma necessidade que minimiza o sofrimento dos usuários da rede pública de saúde, que muitas vezes não possuem condições financeiras para comprar sequer um lanche e se encontram invariavelmente debilitados.”

Os pacientes e seus acompanhantes ficam horas sem se alimentar, uma vez que saem de suas residências ainda de madrugada e retornam, muitas vezes, apenas no início da noite. Este é um programa que visa ampliar as políticas sociais, buscando a humanização do atendimento do paciente.
A vereadora indica também que o Poder Executivo, por meio da secretaria de Saúde, possa viabilizar um estudo para o município fazer a adesão do programa do Governo Federal Serviço de Atenção Domiciliar – Melhor em Casa.”

“Ofertar aos munícipes, o Serviço de Atenção Domiciliar – Melhor em Casa – https://www.gov.br/saude/pt-br/acesso-a-informacao/acoes-e-programas/atencao-domiciliar/servico-de-atencao-domiciliar-melhor-em-casa
-, para que os médicos, enfermeiros, profissionais da saúde possam ir até a casa das pessoas que necessitam de atenção especial, para a troca de curativos; para quem é diabético ou seja quem precisa de atendimento diferenciado.”,

finaliza a vereadora.

AI