LÍDER DO GOVERNO OU DA PREFEITA?

252

No último dia 08 de fevereiro fui escolhido como o Líder do Governo Municipal na Câmara de Presidente Epitácio.

Uma das coisas que sempre digo é que a democracia exige coragem. Coragem de ver algo acontecendo diferentemente da maneira com que de fato deveria acontecer e não se render à um ‘mero’ discurso, mas ter um honesto e comprometido posicionamento para fazer diferente.
Foi nesse sentido que aceitei o maior desafio da minha vida que tem sido entrar na política, e, exatamente por ter claro que minha missão nessa minha breve passagem pela política é me posicionar para fazer como eu acredito que deveria ser feito, eu aceitei mais esse desafio: ser o Líder do Governo Municipal.

A sugestão do título deste texto já traz um importante e fundamental questionamento: quando falo de liderança na Câmara, eu falo sobre ser um porta voz do Chefe do Executivo ou do Governo Municipal no geral?

Concordo que o questionamento soa, de início, ser a mesma coisa. Porém, uma coisa é falar por uma pessoa isoladamente, outra coisa, completamente diferente, é falar por uma instituição inteira. Concorda?

É por isso que a função do líder é uma forma de dialogar sobre os interesses do Governo Municipal como um todo, e não dos interesses exclusivos de quem o chefia, expressando importante diferença sobre o que está sendo representado.

O artigo 2º da Constituição Federal estabelece os poderes da União (do país), dizendo que eles – Legislativo, Executivo e Judiciário – são independentes e harmônicos entre si.

Mesmo que exista a resistência em manter essa harmonia entre os poderes por parte de alguns participantes dos entes – por desconhecimento ou falta de interesse mesmo –, não significa que a harmonia não seja interessante ou necessária.

Aqui quero me ater, especialmente, entre a relação entre os poderes Executivo (Prefeitura) e Legislativo (Câmara Municipal).
Boa parte das ações do Executivo são enviadas para a Câmara mediante projetos de lei, que, por sua vez, irá discutir e decidir se o Chefe do Poder Executivo pode ou não tomar aquela determinada medida.

Por isso a importância de um relacionamento harmonioso entre os poderes. Repito: um relacionamento harmonioso entre os poderes, o que só é possível ser feito através do diálogo.

É nesse ponto que entra a importância do Líder do Governo Municipal na Câmara. É para fazer uma interlocução séria e honesta sobre aquilo que será votado na Câmara para que os vereadores possam compreender todos os aspectos do que está em discussão e sua importância, assim como também levar ao Executivo os pontos de vista aquele determinado assunto.

Perceba que o papel do líder é promover um diálogo saudável, construtivo e harmonioso entre os poderes, e não um “menino de recados” por picuinhas políticas. O Líder não tem mais benefícios que qualquer outro parlamentar, mas é igualmente legitimado como todos os outros eleitos para exercer sua função em seu todo e representar os anseios e necessidades da sociedade.

Ser Líder do Governo Municipal é ter compromisso com o diálogo e a harmonia. Com isso, a cidade só tem a crescer!

Raphael Vilela
Redes sociais (Facebook) (instagram)

Comentários

- PROPAGANDA -