Eutanásia em cães gera protesto em Epitácio

327

Cerca de 30 pessoas questionam critérios utilizados para aplicação do procedimento em pets com leishmaniose visceral canina

Ocorreu na tarde de ontem uma manifestação contra o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) de Presidente Epitácio, por conta da utilização da eutanásia em animais. O protesto contou com cerca 30 pessoas que se concentraram em frente à Prefeitura da cidade. A representante da ONG (organização não governamental) Rede Pró-Animal, Valéria Ribeiro, diz que os manifestantes questionam os critérios utilizados para a utilização da eutanásia em animais com LVC (leishmaniose visceral canina).

Como noticiado anteriormente, Presidente Epitácio confirmou que, somente neste ano, a cidade contabilizou sete casos de leishmaniose em humanos e 85 registrados em animais. De acordo com a representante da ONG, não se sabe quais critérios são utilizados para o tratamento da LVC nem para a aplicação da eutanásia. “Só o que pedimos é um trabalho com dignidade para os animais e transparência para os protetores”, afirma.

Há um ano e um mês, o CCZ foi instalado em Epitácio. Porém, de acordo com Valéria, a unidade fica localizada em um local distante da cidade, cerca de 30 quilômetros de distância, que causa um difícil acesso aos moradores. “O local não possui placa, está com grama alta, e muitas vezes se encontra fechado dia de semana”, declara.

A reportagem tentou contatar o Centro de Controle de Zoonoses de Presidente Epitácio, mas até o fechamento desta edição, não conseguiu localizar nenhum representante do órgão.

SAIBA MAIS

Desde maio deste ano, em Presidente Prudente, está em vigor à Lei 9.677/2018, que proíbe a eutanásia em cães e gatos que estiverem com a LVC, pelos órgãos de controle de zoonoses, canis, abrigos públicos e demais locais. Juntamente, também entrou em vigor a propositura 9678/2018, que disciplina o controle da eutanásia, ampliando o tratamento da LVC disponível, que até então era limitado ao medicamento Milteforan.

FONTE: IMPARCIAL

Protesto reuniu cerca de 30 pessoas em frente à Prefeitura de Epitácio. Foto: Valéria Ribeiro/Cedida

Comentários