Briga boa de perder.

130

Quando falamos em brigas, nossos impulsos e ânimos vão a flor da pele, e é claro, queremos vencer todas.

Ninguém gosta de sentir derrotado, mas entre o conflito do “eu” e o Espírito Santo de Deus, o melhor é perder por nocaute.

Não sei se você já possui o Espírito Santo de Deus, se ainda não, busque hoje a presença dele. Digo isso porque é algo simples que surpreende em todos os sentidos da nossa vida.
Simples por não provocar em nós loucuras como girar, voar, derrubar, ou que possam ferir o caráter, dignidade, mansidão, domínio próprio, entre outros, porque ele vem para dar vida e paz.

“A mentalidade da carne é morte, mas a mentalidade do Espírito é vida e paz;”
(Romanos 8:6)

Contudo é surpreendente porque nos livra da morte, não essa simples da carne, mas eterna, pois somos incluídos no rol de filhos de Deus.

“Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus”.
(Romanos 8:14)

Ser filho de Deus é uma opção pessoal, pois você não nasce filho dele, mas se desejar essa posição é alcançável.

Atenção nessa história:
Certo dia fiz um convite a um pastor de outra cidade para ministrar a Palavra num culto especial, e como temos o bom hábito de ofertar alguma quantia em dinheiro aqueles que nos presenteia com os ensinamentos de Deus, no intuito de custear as despesas, recebi da responsável pelas finanças um valor muito baixo, no qual o pastor nem pagaria os pedágios, e eu era o responsável de entregar para ele no final do culto.

O culto iniciou, e aquele envelope com pouco dinheiro me incomodava tanto que já não estava ouvindo o preletor, parecia que estava sentado sozinho do lado de fora da igreja.
Lembrei-me que antes de sair de casa pedi a minha esposa para pegar R$100,00 para o lanche depois do culto, e naquele instante minha cabeça dizia: pega R$50,00 daquele dinheiro, porque os outros R$50,00 será para o lanche, e vai estar tudo certo; mas outra voz gritava no meu coração: você trouxe os R$100 reais pra isso, o lanche você poderá pagar com o cartão, coloque-o todo dentro do envelope para somar com o outro dinheiro, e assim, a oferta será maior para o pastor.

Apesar das duas ações serem boas, é claro que pedi a minha esposa apenas R$50 reais do dinheiro do lanche, e ela me disse assustada: peguei um nota inteira de R$100 reais.
Não tinha como rasgar a nota ao meio, então senti um tapa de vergonha interior, e a voz dizendo: seu cabeção, até quando não vai me ouvir.

Peguei a nota de R$100 reais, juntei no envelope com o restante que a moça tinha me entregue, assim, depois do culto pude ofertar uma quantia maior para o pastor, que merecidamente nos atendeu.

Naquela época minha esposa e eu estávamos em construção num espaço da casa, a despesa alta com pedreiros e materiais, ela também ficou com raiva de mim naquele instante, mas isso soube dias depois, contudo, menos de 24h do ato de ofertar, Deus me presenteou com 10x quanto ao valor que ofertei, depois de mais uma semana, novamente outro presente de Deus, quase 30x mais do valor, sendo todos esses não esperados.
Conto essa história real para muitas pessoas no sentido de refletirmos sobre quem estamos ouvindo, e quais são as nossas decisões.

É muito melhor atender a voz do Espírito, mesmo quando acreditamos que algo está errado, ou que nos faltará em outro ponto. Isso não apenas ao financeiro, mas relacionamentos, intimidade, família, trabalho, entre outros.

Na disputa do seu “eu” com o Espírito Santo de Deus”, aprenda a perder com estilo, pois hoje é o tempo certo de ser guiado por ele.

“Mas quando o Espírito da verdade vier, ele os guiará a toda a verdade. Não falará de si mesmo; falará apenas o que ouvir, e lhes anunciará o que está por vir”.
(João 16:13)

Meu nome é William Rodrigues, sou advogado, professor, empresário, seminarista, mas pode me chamar de FACILITADOR.

#AcordaAÍ #BoraPlantarSementes

Contatos:
@will_epitacio (instagram)
william.rodriguesdasilva.127 (facebook)

Comentários

- PROPAGANDA -