Sesi SP Leva 10 times para o Torneio Nacional de Robótica ao Rio de Janeiro

185

Competição reunirá alunos de 84 equipes de escolas públicas e particulares de todo o Brasil, de 15 a 17/3, e as melhores garantem vagas para a disputa de torneios internacionais

Estudantes de dez equipes do SESI-SP disputam a Etapa Nacional do Torneio de Róbotica, categoria First Lego League, de 15 a 17 de março, no Rio de Janeiro. Mais importante torneio da categoria no país, a competição serve como seletiva para disputas internacionais.

Já é tradição do SESI-SP obter excelentes resultados nesses torneios, dentro e fora do país. No ano passado, a equipe SESI Thunderbóticos, de Rio Claro, venceu a Etapa Nacional do Torneio. E, no World Festival, a mais importante competição internacional da categoria, o lugar mais alto do pódio foi ocupado pelo time SESI Red Rabbit, que obtive a maior pontuação geral. Além de Rio Claro e Americana, participam desta edição do Torneio Nacional times do SESI-SP de Araras, Barra Bonita, Bauru, Birigui, Jundiaí, Ourinhos, Piracicaba e Sorocaba.

Os torneios de robótica têm por objetivo promover o ensino de ciência, tecnologia, engenharia, artes e matemática no ambiente escolar. A cada ano a competição estimula o trabalho colaborativo, a criatividade e traz desafios do mundo real para os alunos. Em cada temporada do torneio, os estudantes recebem um desafio específico. Na temporada atual, com o tema Em Órbita, os estudantes tiveram de desenvolver projetos teóricos inovadores com propostas para melhorar a experiência de astronautas no espaço.

Além do projeto de pesquisa, a competição também inclui o Desafio do Robô, modalidade em que os alunos constroem e programam um robô autônomo capaz de cumprir missões predeterminadas. A prova é realizada em uma mesa de competição, na qual os robôs devem executar as tarefas programadas em até dois minutos e meio.

Para o presidente da FIESP e do SESI-SP, Paulo Skaf, a inclusão da robótica nas escolas estimula o aluno a ser criativo e ajuda a formar cidadãos mais colaborativos. “Os alunos entram em contato com os princípios da robótica por cinco anos. Quando ingressam no Ensino Fundamental II estão prontos para propor soluções que podem ajudar sua comunidade. Estamos desenvolvendo competências e habilidades importantes para o futuro. Não é apenas robótica. Estamos introduzindo os jovens para o futuro”, afirmou.

Na metodologia utilizada no SESI-SP, as crianças são estimuladas a desenvolver competências e habilidades para a aplicação da Ciência, desmistificando o uso da tecnologia na vida moderna.

Os trabalhos na área de robótica são desenvolvidos em sala de aula e supervisionados por analistas de suporte em informática. O evento tem como parceiro a organização norte-americana For Inspiration and Recognition of Science and Technology (FIRST), fundada em 1989 para estimular o ensino e a prática da ciência e da tecnologia entre os jovens.

Para saber mais sobre o torneio, acesse pelo Facebook Robótica SESI

fonte: presidenteepitacio.sesisp.org.br

Comentários