Casal de irmãos é preso por movimentar mais de R$ 50 mil em fraudes de empréstimos consignados contra idosos

548

Mulher, de 35 anos, foi localizada e detida em um condomínio de luxo, em Álvares Machado, enquanto homem, de 38 anos, estava em Presidente Prudente no momento da prisão.

Um casal de irmãos foi preso nesta segunda-feira (3) pela Polícia Civil sob suspeita de praticar pelo menos 13 crimes de estelionato contra idosos na região de Presidente Prudente.

A mulher, de 35 anos, foi localizada e detida em um condomínio de luxo, em Álvares Machado, enquanto o homem, de 38 anos, estava em Presidente Prudente no momento da prisão.

Ambos tiveram as prisões preventivas decretadas pela Justiça, após representação elaborada pela Polícia Civil com a conclusão das investigações.

A estimativa é de que os 13 crimes até agora confirmados tenham movimentado mais de R$ 50 mil em operações de crédito feitas em nome das vítimas.

As investigações foram conduzidas pela Delegacia da Polícia Civil, em Rosana, onde os golpistas fizeram a maior parte das vítimas.

Segundo a polícia, os irmãos mantinham, em Presidente Prudente, uma empresa de concessão de crédito consignado. Através dessa pessoa jurídica, eles faziam contato com idosos que já possuíam empréstimos consignados por meio das suas aposentadorias ou pensões e lhes ofereciam a prestação de um serviço jurídico de “restituição de juros abusivos”.

No entanto, segundo a polícia, os estelionatários, na verdade, operavam uma nova contratação em nome das vítimas, sem o seu consentimento, causando-lhe prejuízo.

O homem se apresentava falsamente como advogado e afirmava que ingressaria com um procedimento visando à restituição de juros que teriam sido pagos indevidamente pela vítima ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Após o idoso aceitar e assinar os documentos, era concretizado um novo empréstimo em seu nome, sem o seu conhecimento, garantindo proveito ilícito à empresa e gerando prejuízo à vítima.

A mulher, por sua vez, era a responsável pela confirmação e pela finalização daquelas contratações fraudulentas, sempre induzindo ou mantendo as vítimas em erro.

O delegado de Rosana, Ramon Euclides Guarnieri Pedrão, contou ao G1 que o lucro obtido pelos irmãos estelionatários resultava da comissão que recebiam pelas operações de crédito realizadas em nome das vítimas idosas.

Parte das vítimas foi abordada na zona rural de Rosana, onde o homem apresentava-se falsamente como advogado.

As prisões nesta segunda-feira (3) foram cumpridas por policiais civis de Rosana, com o apoio da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Presidente Prudente.

G1 PRUDENTE

Comentários

- PROPAGANDA -