“Acabei de enterrar um pedaço de mim” diz mãe da criança que morreu durante atendimento em Bataguassu

348
Antonella de 1 anos e 3 meses morreu no noite de ontem - Fotos Redes Sociais

“Acabei de enterrar um pedaço de mim” foi a frase que Elaine Silva, a mãe da Antonella que morreu ontem, dia 03 de fevereiro, no Pronto Socorro Municipal de Bataguassu, usou para se despedir da filha nas redes sociais. A morte da criança de 1 ano e 3 meses gerou polêmica e comoveu a população que cobrou explicações sobre uma suposta falha no atendimento realizado pela saúde pública do município. Nas redes sociais parentes e amigos da família alegam demora no atendimento. Em nota, a prefeitura nega que houve negligência.

“Olhem bem as fotos da minha neném, gorda, bonita, bem cuidada, nunca teve nem gripe, daí com uns três dias antes teve febre e caxumba e levou ela óbito, e daí de quem foi a culpa? Minha, que estava a dias atrás de pediatra médico ou dos incompetentes que se dizem médicos, que nem examinam e nem olham na cara do paciente, não são todos. Fica aqui a minha indignação, quem vai devolver minha filha agora? questionou a mãe da criança nas redes sociais.

De acordo com informações apuradas, a criança teria passado mal no dia 31 de janeiro, domingo. No Pronto Socorro da Santa Casa ela foi atendida e inicialmente diagnosticada com suspeita de caxumba e depois liberada para retornar para casa. A mãe questiona a falta de especialista para um diagnóstico mais preciso no primeiro dia de atendimento, que segundo ela poderia ter salvo a criança “Se o clínico me atendesse na noite do primeiro dia, que levei ela com o pescoço inchado e com febre, adequadamente talvez ela estaria aqui” disse.

Devido ao agravamento do quadro clínico da criança, na quarta-feira (03), a mãe levou a criança até o Posto de Saúde no Jardim São Francisco, e após consulta foi encaminhada com urgência ao Centro de Especialidades Médicas para atendimento com um médico especialista em pediatria.

No entanto segundo relatos da mãe da criança nas redes sociais, ao chegar na unidade de saúde o atendimento foi negado “Não queriam atender ela, minha mãe ligou lá e ameaçou fazer um barraco e chamar a polícia, aí sim, mandaram eu levar ela que ela seria atendida ” disse a mãe da criança

Logo em seguida, ela foi atendida por uma médica pediatra que a encaminhou ao Pronto Socorro, onde a criança veio a óbito.

Outro lado
Em nota a Prefeitura de Bataguassu negou negligência e disse que todo o atendimento necessário foi prestado a paciente.

“A criança foi atendida inicialmente dia 31 de janeiro, no Pronto Socorro Municipal e apresentava estado febril e um edema em face lado direito, data em que foi atendida, medicada e liberada pelo médico plantonista após suspeita de parotidite (caxumba).A mãe procurou atendimento novamente ontem, dia 3 de fevereiro, às 9h18, na Estratégia de Saúde da Família (ESF) do bairro Jardim São Francisco e foi atendida pelo médico da unidade, que encaminhou a paciente para atendimento pediátrico no Centro de Especialidades Médicas (CEM), que ocorreu às 10h35.”

Na nota, a prefeitura não cita que houve demora no atendimento no Centro de Especialidades Médicas “A pediatra, por sua vez, atendeu a criança e orientou a mãe sobre a necessidade de encaminhá-la para internação hospitalar no Pronto Socorro, solicitando a realização de exames diversos” diz

Segundo os esclarecimento da prefeitura, a mãe se apresentou para internação da criança no Pronto Socorro às 12h46 de ontem, onde houve assistência à paciente, seguindo prescrição médica

“Após a internação e a realização de exames, que apresentaram quadro de anemia, suspeita de parotidite (caxumba) e início de crise convulsiva, a médica pediatra plantonista foi solicitada no local para acompanhamento do caso. A pediatra de plantão, por sua vez, deu início aos procedimentos e viu a necessidade da presença da outra pediatra que havia realizado o primeiro atendimento à criança no Centro de Especialidades Médicas, que veio prontamente para atendê-la. Foi necessária a remoção da criança do quarto de internação para a sala de emergência. A paciente apresentou parada cardiorrespiratória, foi realizada manobras de reanimação pela equipe médica presente, porém, sem sucesso, e a criança evoluiu a óbito às 17h05” relata a nota.

por Cenariosms.com.br

 

 

Comentários

- PROPAGANDA -