Filha atira e mata o próprio pai após presenciar mãe ser agredida, em Ribeirão dos Índios

223
Delegacia da Polícia Civil em Ribeirão dos Índios — Foto: Polícia Civil

Moça de 23 anos até apartou a briga dos pais em determinado momento, mas também sofreu agressões. Ela está foragida.
Um comerciante de 61 anos foi morto após uma briga familiar num sítio, em Ribeirão dos Índios. Ele foi atingido por um tiro disparado pela filha, de 23 anos. A confusão teve início após ele, com ciúmes, agredir a esposa. O crime foi registrado na Polícia Civil na madrugada desta segunda-feira (1º) como homicídio qualificado.

Quando a polícia chegou ao local, a testemunha, uma mulher de 50 anos, contou que convivia com a vítima há aproximadamente 28 anos e que constantemente sofria ameaças e agressões físicas do companheiro, mas preferia não registrar o caso.

Na manhã deste domingo (31), a vítima foi a um pesqueiro junto a mulher e a filha. No local, há uma lanchonete, onde passaram a ingerir bebidas alcoólicas.
Por volta das 19h, a família voltou ao sítio onde reside. Na sequência, o homem passou a implicar com a esposa, demonstrando ciúmes e alegando que ela havia mostrado interesse em alguns frequentadores do pesqueiro.

A mulher negou tal interesse, mas, ainda assim, o homem começou a agredi-la. O fato foi presenciado pela filha.
A moça, dizendo não suportar mais ver a agressão, pegou uma faca e a arremessou contra o pai, que foi atingido na altura de um dos ombros. O homem se feriu e neste momento largou a esposa.

Contudo, o indivíduo passou a investir contra a filha. Ambos foram para fora de casa, onde a moça também passou a sofrer agressões. Conforme o registro policial, o homem dizia que iria “dar um fim nas duas”. A mãe, então, se aproximou para defender a filha e conseguiu apartá-los. A moça correu para dentro de casa e o homem voltou a agredir a esposa.
Foi quando a filha saiu da residência com uma espingarda de calibre 12 em mãos e efetuou um único disparo contra o pai.
A faca e a espingarda foram recolhidas pela perícia.
A mulher relatou que após os fatos a filha deixou o sítio, sozinha, em uma caminhonete. O veículo foi abandonado em um pesqueiro.
A moça está foragida.

G1 Presidente Prudente e Região

Comentários

- PROPAGANDA -