Vigilância Epidemiológica confirma 2º caso de morte decorrente da dengue neste ano em Presidente Prudente

226
Casos de dengue disparam em Presidente Prudente — Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

Mulher de 37 anos, moradora do Residencial Itapuã, na zona leste, estava grávida de oito meses, mas o parto foi realizado a tempo e o bebê passa bem.

A Vigilância Epidemiológica Municipal (VEM) confirmou nesta segunda-feira (27) o segundo caso de morte decorrente da dengue neste ano em Presidente Prudente. A vítima foi uma mulher de 37 anos, moradora do Residencial Itapuã, que morreu no dia 17 de maio, no Hospital Regional (HR), onde estava internada.

A confirmação do óbito foi feita através de exame do Instituto Adolfo Lutz.

Conforme a VEM, a mulher havia tido dengue em 2016, do sorotipo 1, e, em 2019, contraíra o tipo 2, “que agravou rapidamente”.

Ela estava grávida de oito meses, mas o parto foi realizado a tempo e o bebê passa bem.

Na Certidão de Óbito dela, já constava a dengue hemorrágica como uma das causas da morte.

O primeiro óbito decorrente da dengue neste ano em Presidente Prudente foi registrado em uma moradora do Parque Alvorada, de 49 anos, no dia 7 deste mês.

As duas mortes vitimaram moradoras de bairros da zona leste, onde, segundo a VEM, já foram realizados o Bloqueio de Controle de Criadouros (BCC) e a nebulização para eliminar focos de proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

Ainda nesta segunda-feira (27), a Secretaria Municipal de Saúde confirmou mais 147 casos de dengue em Presidente Prudente. Agora, são 1.232 catalogações positivas, sendo 1.214 autóctones, contraídas no município, e 18 importadas, vindas de outras cidades.

A pasta informou que há 5.219 notificações. Neste número, estão incluídas as catalogações positivas, as negativas, as que aguardam resultados e até mesmo as inconclusivas, que correspondem àqueles exames que terão de ser refeitos.

O avanço da dengue fez com que o prefeito Nelson Roberto Bugalho (PTB) decretasse na semana passada situação de emergência na saúde do município por um período de 180 dias.

Por G1 Presidente Prudente

Comentários

- PROPAGANDA -