Representatividade do Deputado Estadual Reinaldo Alguz em nossa região

87

CRESCE UNIÃO EM TORNO DAS SANTAS CASAS
Já são 27 Santas Casas e Hospitais, de todo o Oeste do Estado, que se uniram ao nosso pleito pela revisão do corte de 12% que atinge o Programa Pró-Santa Casa e o Programa Sustentável. Recebemos desde janeiro manifestações de apoio e de reconhecimento ao nosso trabalho de investimento na saúde, que temos feito desde o início do mandato.

Na quarta-feira 10/02, recebi, com muita satisfação, a visita de cortesia e agradecimento do senhor Edson Rogatti, diretor-presidente da Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo, a Fehosp. Seguiremos trabalhando unidos para que nossos hospitais e Santas Casas continuem tendo plena capacidade de atender a população do nosso estado neste momento crítico.


DIÁLOGO COM O GOVERNO
Estive reunido em diferentes ocasiões com lideranças do governo, entre os quais o vice-governador Rodrigo Garcia e o Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi. Tive a oportunidade de pleitear mais leitos de UTI para o interior do estado, demandar mais agilidade nesse processo, de manifestar minha preocupação sobre o Hospital das Clínicas de Bauru e de externar preocupação com a situação do setor de comércio, serviços, turismo e de bares e restaurantes.

Tenho defendido que o governo tenha um olhar específico para esses setores, que estão conscientes e preparados para enfrentar a pandemia, mas sendo gravemente impactados pela crise. Seguiremos dialogando com o setor, com lideranças regionais e com o governo, para tentar encaminhar as melhores soluções para este cenário difícil. Enquanto não chega a solução definitiva, que só virá com a vacinação de uma parcela relevante da população, é necessário que continuemos equilibrando as ações para salvar vidas e, ao mesmo tempo, preservar empregos e a renda dos paulistas.

BENEFÍCIOS PARA PEQUENO COMÉRCIO, TURISMO, BARES E RESTAURANTES
Na quarta-feira 03/02, o governo de São Paulo anunciou um aporte de R$ 125 milhões de crédito aos setores do pequeno comércio, do turismo e de bares e restaurantes, por meio do Banco do Povo e da DesenvolveSP, além da suspensão por 90 dias do protesto de todos os débitos inscritos na dívida ativa do estado e renegociação de dívidas.

Tenho defendido exatamente essa linha de ação publicamente e junto ao governo desde o início da pandemia, consciente de que, ao lado das medidas necessárias para diminuir o contágio, preservar a saúde e salvar vidas, precisamos também de uma atuação efetiva para contornar as consequências econômicas negativas desta crise, que atinge desproporcionalmente alguns setores da economia. Agora, é preciso garantir que os empréstimos sejam concedidos sem burocracia.

BENEFÍCIOS PARA A POPULAÇÃO DE TODO O ESTADO
Sempre digo que, quando nos unimos, podemos encontrar as melhores soluções. Conseguimos, juntos, restabelecer junto ao governo a isenção de ICMS sobre os ovos e a energia elétrica. Quero cumprimentar as lideranças regionais pelo trabalho que têm feito para encontrarmos soluções. O trabalho dos avicultores representa, acima de tudo, a manutenção de benefícios essenciais para o consumidor paulista, principalmente a população mais pobre.

A medida tem impacto no preço do frango, do ovo e de todos os alimentos que os utilizam em sua preparação, ou seja, menos pressão sobre os preços de alimentos na mesa de todos os paulistas.

ALESP APROVA MULTAS PARA QUEM FURAR FILA DA VACINA
Temos assistido com indignação às notícias de “fura-filas” da vacinação em muitos estados. Embora a ampla maioria dos brasileiros tenha um comportamento ético e conforme à lei, é preciso dar respostas institucionais a esses atos que ferem a legalidade e descortinam um profundo egoísmo e desrespeito ao bem comum. Por isso, quarta-feira 10/02, aprovamos na ALESP o projeto de lei, sancionado pelo governo, que define penalidades para agentes públicos e cidadãos que infringirem as regras do plano de imunização elaborado pelo Estado ou Governo Federal, com multas que chegam a R$ 98.906,00.

Aprovamos também o projeto de lei que define penalidades administrativas aos agentes públicos estaduais que cometerem atos de improbidade com recursos destinados ao combate da crise sanitária e seus efeitos, que pode abranger os casos de falsa vacinação de idosos que infelizmente também temos visto. O projeto, que ainda aguarda sanção do governo, prevê, ademais, o afastamento e a exoneração do agente público que atuar irregularmente.

“SELO VERDE” PARA AS FERROVIAS
Tivemos a notícias de que as ferrovias terão um “selo verde” para mercado de carbono, gerando a oportunidade de acesso aos amplos recursos de fundos internacionais que investem em empreendimentos que reduzem a emissão de poluentes.

Esse “selo verde” permitirá que as concessionárias comercializem créditos de carbono no mercado. Na prática, as empresas poderão vender créditos de carbono depois de calcular, a cada ano, qual foi o montante de emissões de gases-estufa evitadas pelo uso da ferrovia e não de outro modal (como o rodoviário). Como as ferrovias são menos poluidoras — alguns estudos apontam que as ferrovias podem reduzir acima de 50% das emissões quando comparadas às rodovias —, elas poderão captar recursos no mercado usando essa ferramenta.

Essa nova conquista permitirá que as concessionárias das ferrovias ampliem suas receitas e elevem a taxa de retorno dos projetos, fazendo diferença na viabilização do negócio e, consequentemente, acelerando o processo de ampliação da malha ferroviária em nosso país. Desde que assumi o mandato como deputado, tenho trabalhado intensamente neste sonho: mudar a matriz logística do Estado de São Paulo e do Brasil, através do desenvolvimento da Malha Ferroviária.


DESENVOLVIMENTO REGIONAL
Na terça-feira 02/02, recebi em meu gabinete na ALESP uma visita de cortesia de Renato Mungo, presidente da União das Entidades de Presidente Prudente (UEPP), e de Marcos Antonio Carvalho Lucas, presidente da Associação das Agências de Viagens do Interior do Estado de São Paulo (AVIESP). Tivemos uma ótima conversa sobre temas de interesse regional e os potenciais e perspectivas para o desenvolvimento da região.
AI DEPUTADO

Comentários

- PROPAGANDA -