Caravina visita Projeto Florestinha no Distrito de Nova Porto XV

216

O prefeito de Bataguassu, Pedro Arlei Caravina (PSDB) esteve na última sexta-feira, dia 16 de agosto, às 14h30 (horário de Brasília), em visita a sede própria do Projeto Florestinha, trabalho social e ambiental realizado pela Polícia Militar Ambiental (PMA) do Estado com crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.

No Distrito de Nova Porto XV, o início das atividades do projeto está marcado para o próximo dia 2 de setembro. A Prefeitura de Bataguassu, através da Secretaria Municipal de Assistência Social, Trabalho e Política para Mulheres será mantenedora do projeto em parceria com a PMA.
Durante a visita, Caravina foi recepcionado pelo 1º sargento da PMA, Antonio Roberto dos Santos Pereira, coordenador do projeto Florestinha e pela equipe técnica do Centro de Referência em Assistência Social (Cras II) em Nova Porto XV.

No encontro, o prefeito, que é o atual presidente da Assomasul conheceu as dependências do projeto e trocou impressões sobre os detalhes finais para o início do atendimento.

Inicialmente, segundo o coordenador do projeto Florestinha, serão atendidas 50 crianças, sendo 25 no período da manhã e 25 à tarde, com faixa etária de 7 a 16 anos e que já estavam vinculadas ao Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) Espaço do Saber, referenciado ao Cras II.

“O período de matrículas do projeto será desenvolvido de 22 a 29 de agosto, na sede do projeto (rua João Paulista, nº 01, Distrito de Nova Porto XV), no entanto, as matrículas serão realizadas mediante encaminhamento do Cras II usando o critério de prioridade, dando oportunidade para as crianças e adolescentes que já estavam matriculadas no projeto Espaço do Saber”, comentou.

A coordenadora municipal do Cras II, Anelise Cabral Nunes informou que os pais e/ou responsáveis desses atendidos anteriormente pelo projeto Espaço do Saber deverão retirar o encaminhamento no dia 21 de agosto, quarta-feira, durante a realização de uma palestra em alusão a campanha “Agosto Lilás”, que será realizada às 9h30 (horário Brasília), no Centro Comunitário “Jailton Santana de Lima”, no bairro da Reta A-1”, em Nova Porto XV. “É obrigatório que esse responsável pela criança participe da atividade e retire esse encaminhamento para que tenha sequência o pedido de matrícula”, explicou.

Caravina destacou que a atual administração municipal está abraçando o projeto e que irá fornecer toda a infraestrutura necessária para o seu funcionamento, em Nova Porto XV.

Para o gestor, que é o atual presidente da Assomasul, a existência de projetos como o Florestinha é de extrema importância na formação e desenvolvimento das crianças e adolescentes. “Os projetos tem a missão de transformar vidas, incentivando as crianças e adolescentes a seguir o caminho do bem, estimulando- os a desenvolver atividades variadas, proporcionando mais qualidade de vida aos atendidos, garantindo um futuro mais digno para que eles possam se tornar cidadãos do bem”, disse ele, que lembrou sobre a importância das parcerias, que mais uma vez beneficiará a população.

O prefeito salientou ainda na visita que a antiga sede do Espaço do Saber será reformada e ampliada e acomodará, em breve, a sede do Cras II de Nova Porto XV.

OBRA
O prédio do Projeto Florestinha possui 390 metros quadrados e conta com salas de aula, sala de informática, cozinha e banheiros com acessibilidade.
Para a construção da estrutura física, foram investidos R$ 472.500,00 sendo estes recursos destinados pela Justiça do Trabalho provenientes de acordo fechado em uma ação civil pública movida após um acidente que matou quatro trabalhadores no frigorífico Marfrig, em 2012.
Todo o mobiliário e demais equipamentos foram fornecidos pela Prefeitura de Bataguassu com investimento na ordem de R$ 80 mil. Outros móveis utilizados na antiga sede do projeto também foram remanejados para o local.

Através da Prefeitura, será realizada também a contratação de pessoal além do custeio do projeto.

PROJETO FLORESTINHA
Em funcionamento há 27 anos, o Projeto Florestinha trabalha com crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade, de 7 a 16 anos, dando-lhes a chance de ter uma profissão e ensinando-lhes a serem cidadãos com sensibilidade ambiental. Além das aulas de reforço no contraturno da escola, eles recebem noções de educação ambiental e disciplina militar. Em todo Estado, 630 crianças participam do projeto.

Por Bianca Lima / Fotos Assecom Prefeitura de Bataguassu

Comentários